Menu
RSS

Livro analisa transição democrática sob a ótica de Cazuza e Renato Russo

  • Por 
Cariocas, Renato Russo e Cazuza se consagraram ídolos do rock nacional nos anos 80 (Foto: Reprodução/Divulgação) Cariocas, Renato Russo e Cazuza se consagraram ídolos do rock nacional nos anos 80 (Foto: Reprodução/Divulgação)

O período entre o fim da ditadura militar e a redemocratização do Brasil analisado sob a produção de dois dos maiores ícones do rock nacional é tema de um livro que será lançado no próximo dia 5 de julho no Rio.

“Cazuza, Renato Russo e a transição democrática” é o título da obra, assinada pelo jornalista Mario Luis Grangeia. O livro chega às livrarias dez anos depois do autor ter começado a pesquisa, inicialmente com foco acadêmico. Grangeia escolheu analisar a transição democrática por meio das composições dos dois compositores cariocas para um trabalho do curso de especialização em sociologia política e cultura.

Em 2013, Grangeia retornou à sua dissertação para reescrevê-la, desta vez em tom de ensaio, deixando de lado o formato acadêmico. Essa segunda versão lhe rendeu o 2º lugar no prêmio Vianna Moog, da União Brasileira de Escritores-RJ.

Além de fã de Cazuza e Renato Russo, Grangeia percebeu que a produção dos dois artistas poderia ser um meio de analisar o contexto político e social da transição entre a década de 1980 e 1990.

“O que acho interessante é que muita gente fica pensando que o Cazuza e o Renato Russo eram porta-vozes da juventude. Mas, não eram. Eles retrataram desejos e expectativas de várias gerações”, afirmou Grangeia.

Livro Brasil: Cazuza, Renato Russo e a transição democrática (Foto: Divulgação/Grupo Record)

O autor conta que revisitou todas as músicas de Cazuza e Renato Russo. “Incluindo as que não foram gravadas”, destaca. Porém, não se restringiu apenas à produção musical dos dois artistas para compreender como eles enxergaram todo aquele processo de mudança política no país.

“Uma coisa que eu achei que era importante ser feita em paralelo à análise das músicas era uma análise das entrevistas deles. Eu queria centrar o foco na visão de mundo deles”, ressaltou o jornalista.

Na orelha do livro, o jornalista Silvio Essinger enfatiza que Cazuza e Renato Russo eram “ao mesmo tempo profundamente semelhantes e diferentes”. Grangeia percebeu durante a sua pesquisa que os dois artistas parecem ter invertido a trajetória de suas composições ao longo do tempo.

“Enquanto o Cazuza começou fazendo músicas mais voltadas para questões íntimas, o Renato Russo começou mais voltado para a esfera pública. Na medida em que foram compondo mais e mais, essas esferas se inverteram”, pontua.

Outra questão que Grangeia levou em consideração foi o meio em que cada um dos dois artistas se criaram. “A sociabilidade de cada um acabou sendo diferente. O Renato cresceu no meio em que o punk estava em alta. O Cazuza, que era filho do dono da Som Livre, no meio de artistas da MPB. Cazuza curtia Cartola e Renato curtia punk britânico”, considerou.

Com 176 páginas, o livro foi dividido por temas como autoritarismo, patriotismo, ideologia, desigualdades e orientação sexual. “Uma contribuição do livro é o realce à faceta cronista dos dois cantores”, ressaltou o autor.

O livro será lançado na Livraria Blooks, na Praia de Botafogo, Zona Sul do Rio, no dia 5 de julho. Na ocasião serão realizado um debate entre Mario Grangeia e o jornalista Silvio Essinger sobre a obra.

Fonte: G1

Deixe seu comentário

Voltar ao topo
Info for bonus Review bet365 here.